Zeca deve ir para o Corinthians (Foto: Ivan Storti/ Santos FC)
Zeca, lateral do Santos (Foto: Vítor Henrique / Santista Roxo)

William Machado diz que Corinthians corre grande risco ao contratar Zeca

O gerente de Futebol do Santos, William Machado, analisou a situação de Zeca, que realizou exames no Corinthians nesta terça-feira (13) e aguarda alguns detalhes para fechar contrato com o time do Parque São Jorge. Ele acredita que o rival está correndo um grande risco em tentar a contratação do lateral-esquerdo, já que o litígio envolvendo o Santos e o atleta ainda está longe de terminar.

“Se o Corinthians assume isso, está no seu direito. O Santos entende que o risco não é pequeno, como o Corinthians entende também. São divergências de interpretação de uma lei. Então, não temos como falar neste momento quem está tomando a melhor decisão”, afirmou William durante evento do Congresso Técnico realizado na sede da Federação Paulista de Futebol.

De acordo com o dirigente, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, já havia ligado para José Carlos Peres recentemente em busca de um acordo amigável entre as partes. No entanto, na visão do presidente santista, os valores oferecidos pelo adversário não eram os ideais.

“O Corinthians já tinha demonstrado o interesse em contratá-lo, já havia contatado o Santos tentando um acordo, coisa que não aconteceu porque, na visão do Santos, os valores oferecidos não eram os ideais. Agora, o Corinthians se baseia em uma decisão jurídica sabendo também que tem um risco em cima disso, mas, infelizmente, o futebol nesse aspecto vai ficar para os advogados resolverem”, emendou.

“Eu acho que o Santos está confiando no seu Departamento Jurídico. Tem uma multa, a multa não é pequena. O Corinthians passa a correr um risco de um valor alto. Os tribunais vão decidir. Daqui seis meses ou um ano vamos saber se foi uma decisão acertada do Corinthians correr esse risco ou se foi uma decisão errada”, completou o cartola, que também falou sobre Jair Ventura e contratações.

Em outubro do ano passado, o jogador de 23 anos entrou em litígio com o Alvinegro sob a alegação de atrasos no pagamento de FGTS e insegurança para trabalhar depois de, segundo ele, ter sido ameaçado em um aeroporto por torcedores. Em dezembro, conseguiu um habeas corpus que o liberava para trabalhar em qualquer lugar. Depois disso, porém, o Santos teve uma vitória na Justiça para fazer constar no registro do atleta a existência de uma disputa jurídica. O julgamento final está marcado para abril.

Em nota, o Santos alega que confia na Justiça para o desenrolar do caso com o atleta.

“O Santos FC reconhece o direito do atleta de assinar com qual clube desejar. Reitera aos envolvidos, contudo, porque acredita na Justiça, que conforme esclarecido pelo TST, o mérito da ação ainda será julgado em abril. Assim, diante do resultado, o clube não abrirá mão, em hipótese alguma e nem parcialmente, do valor que lhe cabe.”

Comentários

comentário