Lucas Lima foi afastado do Santos (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)
Lucas Lima foi afastado do Santos (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

Santos pressiona, mas não sai do zero com a Ponte Preta, no Pacaembu

Depois de três vitórias consecutivas, o Santos recebeu a Ponte Preta, neste sábado (17), no Pacaembu, pela oitava rodada do Brasileirão, buscando entrar no G4 do torneio. Mas, em um duelo eletrizante do início ao fim, o Peixe não saiu do empate em 0 a 0 com a Macaca e perdeu grande oportunidade de embalar de vez com Levir Culpi no comando.

Com 13 pontos em oito jogos, o time da Vila permanece em quinto lugar na tabela, porém, dependendo de uma combinação de resultados, pode cair algumas posições ao fim desta rodada. Já a Macaca tem 11 e pode ser ultrapassada por outros seis times que ainda não jogaram neste fim de semana.

Na próxima quarta-feira (21), o Santos encara o Vitória, às 19h30, no Barradão, na Bahia, em confronto válido pela nona rodada da competição. A Ponte, por sua vez, recebe o Cruzeiro, no dia seguinte, às 19h30, no Moisés Lucarelli.

A partida

Santos e Ponte Preta fizeram um duelo equilibrado e com muitas oportunidades de gol do início ao fim. Logo aos 4 minutos, a equipe visitante chegou com perigo. O atacante Claudinho lançou Elton na área, que chutou e foi travado por Vanderlei.

Aos 21, o Peixe teve a primeira grande chance na partida. Bruno Henrique cruzou da direita, a bola passou por todo mundo e sobrou para Jean Mota, que bateu de primeira. O goleiro Aranha, atento no lance, espalmou a bola para escanteio.

A Macaca até chegou a balançar as redes do Alvinegro, mas o juiz anulou o gol em seguida. Aos 39, Lucca cruzou na área e David Braz completou para o fundo do próprio patrimônio. A arbitragem, porém, marcou impedimento de Elton, que participou da disputa com o zagueiro.

Sem espaço para entrar na área da Ponte, o Santos apostou na bola parada e nos chutes de fora da área. E a última grande chance do time da casa no primeiro tempo foi desta forma. Aos 45, Lucas Lima cobrou escanteio e Copete ganhou no alto. A bola foi alta, mas levou perigo ao camisa 1 do time campineiro.

Assim como os primeiros 45 minutos, a etapa complementar continuou eletrizante. Logo no primeiro minuto, Lucas Lima lançou Copete na área, mas o colombiano tirou demais do goleiro e perdeu boa oportunidade de abrir o marcador.

Jogando em casa e precisando do resultado para entrar no G4, o time da Vila se lançou ao ataque novamente. Dois minutos mais tarde, Lucas Lima deu ótimo lançamento para Kayke, que dominou, girou e bateu forte. Aranha, bem posicionado, fez grande defesa.

Depois de tomar sufoco do Peixe, a Ponte respondeu. Elton recebeu na área e finalizou em cima de Vanderlei, que salvou o Peixe de levar o primeiro gol. Aos 15, Bruno Henrique fez bela jogada, driblou João Lucas e cruzou para Kayke, que bateu de primeira na trave.

Seis minutos mais tarde, Lucas Lima cobrou falta direto e a bola quase encontra o ângulo de Aranha. Em seguida, em nova cobrança de falta, Jean Mota bateu com categoria e a bola passou, mais uma vez, muito perto do ângulo do arqueiro de Campinas.

O último lance de perigo da partida veio aos 34 minutos. Vladimir Hernández tocou para Victor Ferraz, que deixou a bola passar para Lucas Lima. O camisa 10 limpou para o pé esquerdo e finalizou rasteiro. Aranha, tranquilo, fez a defesa. A partir daí, o Peixe ainda tentou, mas foi pouco efetivo e somou apenas um ponto dentro de casa.

Ficha Técnica:
Santos 0 X 0 Ponte Preta

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 17 de junho de 2017, sábado
Horário: 21h (de Brasília)
Árbitro: Igor Junio Benevenuto (MG)
Auxiliares: Marcio Eustaquio Santiago e Celso Luiz da Silva (MG)
Público: 19.984
Renda: R$ 513.190,00
Cartões amarelos: SANTOS: David Braz, Thiago Maia, Bruno Henrique. PONTE PRETA: Rodrigo, Jeferson, Luan Peres.

Santos: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Copete (Vladimir Hernández), Bruno Henrique e Kayke. Técnico: Levir Culpi

Ponte Preta: Aranha; Jeferson, Marllon, Rodrigo e João Lucas (Luan Peres); Fernando Bob, Elton e Renato Cajá (Wendel); Claudinho (Lins), Emerson Sheik e Lucca. Técnico: Gilson Kleina

Sob supervisão de Gabriela Fernandes

Comentários

comentário