Estátua de Zito foi inaugurada oficialmente na noite desta terça-feira, na frente da Vila Belmiro (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC)
Estátua de Zito foi inaugurada oficialmente na noite desta terça-feira, na frente da Vila Belmiro (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC)

Santos inaugura estátua de Zito, o eterno capitão, na frente da Vila Belmiro

Depois de muitos atrasos, o eterno capitão santista Zito, enfim, recebeu sua homenagem em frente à Vila Belmiro. O Clube e a Prefeitura da cidade inauguraram a estátua do jogador, falecido em junho de 2015, nessa terça-feira (31), em frente ao portão 6 do estádio – a obra foi esculpida pelo artista plástico Luis Garcia Jorgea.

O evento contou com a presença da família de Zito, ex-jogadores do Alvinegro, do presidente Modesto Roma Júnior, do prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, da banda sinfônica da Polícia Militar e até do ex-presidente do Clube, Marcelo Teixeira.

“A liderança do Zito é um caso à parte. Uma vantagem da velhice é poder ter visto esse grupo trabalhar, esse grupo ter uma atuação como teve. Ele não foi só um grande jogador, foi um grande líder, um ótimo dirigente. Um sujeito que tinha um amor e um respeito ao Santos fora de série. Como pessoa, como atleta, como dirigente, Zito foi algo espetacular”, disse Modesto Roma Júnior.

Atualmente, a braçadeira de capitão do Santos conta com a letra Z, em referência ao ídolo santista (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC)

Nascido em 8 de agosto de 1932, no interior de São Paulo, José Ely Miranda começou a carreira no Taubaté. Chegou à Vila Belmiro no ano de 1952 e tornou-se um dos jogadores mais completos do Clube. No Peixe, foi bicampeão mundial em 1962 e 1963, e pela Seleção Brasileira, em 1958 e 1962.

Ele entrou em campo com a camisa do Alvinegro por 727 vezes durante 15 anos (entre 1952 e 1967), tornando-se o 3º atleta que mais atuou pelo Santos, atrás apenas de Pelé e Pepe. Atualmente, a braçadeira de capitão da equipe santista conta com a letra Z, em referência ao ídolo.

Sob supervisão de Gabriela Fernandes

Comentários

comentário