Bryan Ruiz e Carlos Sánchez em campo pelo Santos (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Sánchez defende Bryan Ruiz e não abre mão de defender o Uruguai em amistosos

O volante Carlos Sánchez não abrirá mão de defender a Seleção Uruguaia para atuar pelo Santos no clássico contra o Corinthians, no dia 13 de outubro, pela vigésima nona rodada do Campeonato Brasileiro. Ele está na pré-lista para jogos do Uruguai contra Coreia do Sul e Japão nos dias 12 e 16, respectivamente.

“É próprio do jogador, as decisões podem causar muito conflito, mas sempre quero estar quando convocado, é lindo jogar pela seleção, com gente de alto nível. Isso depende de como a seleção ache sobre eu viajar ou não. Quero jogar e que tomemos uma solução boa para todos. A lista não está definida e tomara que eu continue jogando aqui para ser convocado. Que eu continue bem e seleção é um prêmio. Seria um privilégio ir”, disse Sánchez em entrevista coletiva.

No empate em 1 a 1 contra o Vasco, na última quinta-feira, inclusive, o técnico Cuca foi criticado por substituir o uruguaio para colocar Bryan Ruiz no segundo tempo. Sem ele em campo, o Alvinegro acabou levando o empate. Falando em Bryan Ruiz, Carlos Sánchez defendeu o companheiro e acredita que, para provar seu valor, o costarriquenho precisará de mais minutos em campo.

“Com confiança e minutos, vai ser quem todos conhecem. Esperamos ajudá-lo. Para ele é algo novo, a gente se apoia e que ele possa render da melhor forma. Joga uma vez, outra não, às vezes é difícil jogar o que pode em 10, 20 minutos, difícil demonstrar em pouco tempo em campo. Com pouco de confiança vai mostrar o jogador que é”, analisou Sánchez.

Contratado com status de titular após fazer uma Copa do Mundo discreta com a Costa Rica, Bryan Ruiz chegou ao Santos como o “camisa 10” que o time tanto precisava para arrumar o meio-campo. Até agora, no entanto, o atleta tem mostrado muita lentidão, falta de tempo de bola e pouco repertório técnico.

Comentários

comentário