A dupla Diego e Robinho encantou o país em 2002 e 2003 (Foto: AP Photo / Dado Galdieri)
PorSérgio DouglasPostado em: 31 de Março de 2018 0 Shares DADOS PESSOAIS Nome: Robson de Souza Data de Nascimento: 25 de janeiro de 1984 Local de Nascimento: São Vicente/SP Nacionalidade: Brasileiro Altura: 1,72 m NÚMEROS PELO SANTOS Partidas: 246 Gols: 110 HISTÓRIA NO SANTOS Robinho chegou às categorias de base do Santos em 1996, aos 12 anos de idade, após se destacar no futsal por pequenas equipes do litoral paulista. Em 2002, foi promovido ao elenco profissional pelo então técnico Celso Roth. Robinho na época das categorias de base. (Foto: Internet / Reprodução) Logo em sua primeira temporada como profissional (2002), encarou um momento conturbado no Santos, que não havia ganhado nada expressivo após os diversos investimentos de alto custo nos dois últimos anos, e amargava uma fila de 18 anos sem conquistar um título de expressão. Robinho na segunda partida da final do Brasileirão de 2002. (Foto: Mauricio Lima / AFP / Getty Images) No Torneio Rio-São Paulo de 2002, o Santos terminou na 9ª colocação, não se classificando para a fase seguinte, Robinho entrou em 3 partidas ao longo da competição. Na Copa do Brasil de 2002, Robinho não atuou em nenhuma partida, vendo o Santos ser eliminado para o Internacional na segunda fase da competição. Ao longo do Campeonato Brasileiro de 2002, Robinho se tornou titular absoluto com o técnico Emerson Leão; ao lado de outro Menino da Vila, formou a famosa dupla “Diego e Robinho”. A dupla Diego e Robinho encantou o país em 2002. (Foto: AP Photo / Dado Galdieri)

Presidente sonha em repatriar Diego e Robinho, mas aponta empecilhos

O presidente do Santos, José Carlos Peres, sonha em repatriar Diego e Robinho para a próxima temporada. Em entrevista após a reunião do Conselho Deliberativo nessa terça-feira (16), na Vila Belmiro, o mandatário explicou que a dupla está na mira para 2019, mas apontou uma série de dificuldades.

Com vínculo até julho de 2019 com o Flamengo, Diego pode assinar um pré-contrato com qualquer outro time no início do próximo ano. No Rio de Janeiro, o futebol do meio-campista divide opiniões, uma vez que é considerado um jogador exemplar, mas com dificuldades de ser decisivo. O Rubro-Negro não descarta renovar o contrato do atleta de 33 anos, mas não vê isso como prioridade.

“Ele seria bem recebido aqui, mas não podemos ficar falando. Flamengo pode vir com dinheiro. Ele teria que descer da cadeira. Pelo que soube, R$ 850 mil por mês (de salário). Existe essa possibilidade. Jogador está lá e seria deslealdade. Como o Atlético-PR fez com o Bambu. Ele está definindo a situação no Flamengo. Acho que pode sair. Ou assina logo ou dispensa”, disse o dirigente.

O caso de Robinho é, de certa forma, parecido com o do ex-companheiro. Contratado em janeiro deste ano junto ao Sivasspor, da Turquia, o atacante de 34 anos poderá assinar um pré-acordo a partir do início de 2019. Ele tem desejo de voltar ao Brasil e vê o Alvinegro com bons olhos. Desde que chegou ao time turco, por exemplo, é muito comum ver o jogador interagir com o Santos pelas redes sociais.

Vale lembrar que Santos e Robinho chegaram a conversar no início da temporada quando o contrato dele com o Atlético-MG se encerrou. Naquela oportunidade, no entanto, uma acusação de abuso sexual em que o atacante se defende na Itália esfriou as negociações. Ele foi condenado, mas ainda se defende por meio de recursos – uma sentença final só será decidida até que todos os recursos se esgotem.

“Ele alega que o Santos deve para ele e não encontrei em lugar algum. Depende dele. Se tivermos dinheiro, pagamos. Se não, teremos que parcelar. Falei no começo do ano que tinha corrido uma decisão à revelia. Se está condenado, não posso contratar. Recorreu para reverter. Falei que não poderia ser massacrado e poderia reverter”, completou Peres.

Atualmente, o retorno de Diego e Robinho divide opinião entre os santistas. Alguns acreditam que a história da dupla no Peixe já acabou, enquanto outros entendem que os veteranos poderiam ser úteis em uma equipe jovem. Os ídolos do Santos foram fundamentais no título do Campeonato Brasileiro de 2002.

Comentários

comentário