Presidente do Santos, Modesto Roma (Foto: Ricardo Saibun/Santos FC)
Presidente do Santos, Modesto Roma (Foto: Ricardo Saibun/Santos FC)

Presidente do Santos critica arbitragem e defende Dorival Júnior no cargo

O Santos FC ainda não encontrou o seu melhor futebol na temporada. Muito por isso, o trabalho de Dorival Júnior sob o comando do elenco santista vem sendo questionado nas última semanas. Com a eliminação precoce no Campeonato Paulista para a Ponte Preta ontem (10), essa cobrança tende a ser ainda mais forte.

Mas, se depender do presidente do Santos, Modesto Roma, o treinador terá vida longa no Clube, pelo menos enquanto ele ocupar a cadeira na presidência. Após a queda no Pacaembu, o dirigente conversou com a imprensa e rechaçou qualquer possibilidade de troca no comando da equipe.

“Não vai cair. (Dorival) faz um excelente trabalho, penso em mantê-lo até o fim do ano. Essa diretoria não é trouxa. Não se faz um grande time com um técnico ping-pong”, disse o presidente.

Vale lembrar que, entre os times da Série A, Dorival é o que está há mais tempo no cargo. Ele iniciou a sua segunda passagem pelo Peixe em julho de 2015. A partir daí, foi vice-campeão da Copa do Brasil do mesmo ano, conquistou o Paulistão de 2016 e vice-Campeão Brasileiro, também no ano passado.

Irritado com a atuação do árbitro Rafael Gomes Felix da Silva, Modesto chamou o profissional de incompetente. Quando o Santos já estava à frente do placar, o juiz não marcou um pênalti claro cometido por Lucca em Bruno Henrique, ainda no primeiro tempo.

“O lance do Bruno foi pênalti. O juiz (foi) incompetente. Disseram que escolheram entre os oito melhores árbitros. Esse aí está entre os oito piores. Não digo que é má pessoa, mas não tinha competência para o jogo mais complicado das quartas de final. Mesmo que o Santos tivesse marcado 11 gols, o árbitro seria no máximo nota 8,” concluiu.

Sob supervisão de Gabriela Fernandes

Comentários

comentário