Presidente do Santos prestigia o técnico Jair Ventura (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Peres defende Jair e descarta mudança no comando técnico: “Não é o culpado”

O momento de Jair Ventura do Santos não é bom, mas o técnico segue prestigiado pelo presidente José Carlos Peres. Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (23), no escritório do Santos em São Paulo, o mandatário defendeu o trabalho e disse que a culpa também é da diretoria santista, que não conseguiu trazer muitos reforços para que o comandante pudesse usufruir de um elenco de maior qualidade.

“Temos um projeto. Ele não chegou de graça no Clube, demoramos para contratar um técnico. Sabemos e entendemos que ele não é o culpado. Aliás, eu nem sei porque surgiu esse termo culpado. O Santos é o primeiro time a se classificar na Libertadores, passou na Copa do Brasil. Perdemos, mas é questão de estratégia, tínhamos que testar os reservas. Jair não tem culpa, a culpa é da diretoria. Se é que ela existe, porque sem dinheiro não se faz verão. Não demos o que ele precisa, mas é porque não podemos. Não podemos ser irresponsáveis, não podemos colocar tudo a perder. Vamos investir, sim. Estamos nos mexendo. Trouxemos Gabriel, Sasha e Dodô. Não estamos torrando o dinheiro do Clube, estamos recolocando o Santos nos trilhos.”

O desempenho do comandante não é bom desde janeiro de 2018. No total, são 12 vitórias, cinco empates e 11 derrotas – 48% de aproveitamento. Vale destacar que o Peixe foi derrotado em cinco dos últimos seis jogos (Bahia, Nacional, Grêmio, Luverdense e São Paulo, todos fora de casa).

Em 2017, na gestão do ex-presidente Modesto Roma, dois técnicos foram demitidos com o aproveitamento superior ao de Jair atualmente. Em junho, Dorival Júnior foi desligado com 64,6% (em 128 jogos). Mais tarde, no fim de outubro, Levir caiu com 58% de aproveitamento (em 31 jogos).

“Se pegar os times do Santos no passado, o Santos não ganhava fora de casa, mas fazia o dever de casa e o inverso também. Temos um jogo a menos no Brasileiro. Se ganharmos, vamos lá para cima. Uma vitória coloca o time lá em cima. Essa questão do imediatismo ou que vai mal no Brasileiro…. As cinco primeiras rodadas são tão importantes quanto as cinco últimas. Jogamos contra o Bahia e o Grêmio, jogos difíceis. Questão do Grêmio foi atípico. Tentamos sair para o jogo e sair para o jogo perdendo, é complicado. O time está com vontade de jogar. Parece que alguns jogadores não estão, mas estão sim. Diminuímos muito o elenco, a folha de pagamento. Não ficamos como muitas opções, opções que não eram tão importantes para o Clube, mas que fazem falta para um elenco recheado. Queremos dar opções para o Jair. Não pensamos em trocar o Jair, é um cara franco”, emendou Peres.

Comentários

comentário