Santos empatou em 0 a 0 com o Botafogo (Divulgação / Botafogo)

Santos empata com o Botafogo e se complica ainda mais no Brasileirão

A vida do Santos segue muito complicada no Campeonato Brasileiro. Sentindo a falta de um camisa 9 para empurrar a bola para o fundo das redes e sem sorte em algumas jogadas, o Peixe não saiu do 0 a 0 contra o Botafogo na tarde deste sábado (04), no Engenhão, no Rio de Janeiro, pela décima sétima rodada da competição. Já são seis jogos sem vencer após a Copa do Mundo da Rússia.

Com o resultado, o Peixe, com 17 pontos, subiu para a décima quinta colocação, mas deve voltar à zona de rebaixamento ao término da rodada. Bahia e Chapecoense, ambos com 17 pontos, encaram Fluminense e Sport, respectivamente, e podem ultrapassar o time santista.

Agora, o Santos visita o Ceará na próxima quarta-feira (08), às 19h30, no estádio Presidente Vargas, em jogo adiantado da vigésima rodada do Brasileirão. O elenco santista folga neste domingo e se reapresenta na tarde da próxima segunda-feira, no CT Rei Pelé.

A partida

Mesmo jogando fora de casa, o Santos tomou as rédeas da partida no início contra o Botafogo. Mas, a primeira chance de gol aconteceu de fato aos 19 minutos, quando Carlos Sánchez bateu escanteio e a bola sobrou para Dodô, que quase superou o goleiro Saulo. Na sequência, em posição irregular, Alison tentou alcançar a bola, mas o árbitro assinalou o impedimento.

Depois da boa chance santista, o Botafogo começou a entrar no jogo e foi melhor até a ida ao intervalo. Dois minutos depois, Matheus Fernandes finalizou de fora da área, a bola desviou no caminho e quase enganou Vanderlei. O arqueiro do Peixe conseguiu espalmar.

Aos 36, Rodrigo Pimpão subiu pela direita, mandou para a área do Santos e encontrou o meia Léo Valencia na área, que bateu sobre Victor Ferraz e perdeu grande chance. Vanderlei já estava batido no lance. Em seguida, Gustavo Henrique cortou mal e entregou a bola de presente para o Botafogo. Pimpão cruzou, Kieza foi travado e ela sobrou para Luiz Fernando. Na pequena área, ele chutou para fora e perdeu ótima chance.

Aos 38, Kieza partiu para a área do Santos, chegou à linha de fundo e tocou para trás. Victor Ferraz, de novo, tirou a bola de Luiz Fernando, que chegaria em boa condição para marcar. No último lance de perigo do Fogão, Matheus Fernandes arriscou de longe, mas por cima da meta santista.

Após o intervalo da partida, o Botafogo quase marcou no primeiro minuto, quando Léo Valencia bateu falta na área do Santos, Joel Carli resvalou, Igor Rabello bateu de joelho e a bola passou perto da trave.

Aos 16, inacreditavelmente, o Peixe perdeu a grande chance do jogo. Após contra-ataque, Sánchez rolou para a esquerda, a defesa do Botafogo tocou na bola e a deixou nos pés de Victor Ferraz. Ele finalizou, Saulo defendeu de forma esquisita e ela bateu no travessão. No rebote, embaixo da trave e de cabeça, o garoto Yuri Alberto perdeu um gol incrível.

Aos 39, Renatinho recebeu atrás da defesa do Santos e mandou para o gol. O juiz anulou o lance ao considerar que Luiz Fernando, impedido, partiu para a bola, ou seja, participou da jogada – o que é irregular. Os jogadores do Botafogo reclamaram muito, mas o lance não valeu. A partir daí, as equipes até tentaram, mas não conseguiram balançar as redes antes do apito final do árbitro Paulo Roberto.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 0 x 0 SANTOS

Local: Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 4 de agosto de 2018, sábado
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Paulo Roberto Alves Júnior
Assistentes: Pedro Martinelli Christino e Luciano Roggenbaum
Cartões amarelos: Matheus Fernandes (BOT); Luiz Felipe, Gustavo Henrique, Dodô, Alison e Derlis Gonzalez (SAN)
Público: 6.261 pagantes
Renda: R$ 122.665,00

BOTAFOGO: Saulo, Marcinho, Carli, Igor Rabello e Yuri; Matheus Fernandes e Rodrigo Lindoso; Luiz Fernando (Ezequiel), Valencia (Renatinho) e Rodrigo Pimpão (Aguirre); Kieza
Técnico: Bruno Lazaroni

SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Dodô; Alison (Diego Pituca); Rodrygo, Carlos Sanchez, Renato e Bruno Henrique (Derlis Gonzalez); Gabigol (Yuri Alberto)
Técnico: Cuca

Comentários

comentário