Diego Pituca, volante do Santos (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Lateral, volante ou meia: Pituca impressiona Sampaoli por versatilidade no Santos

Um dos jogadores menos badalados do elenco do Santos, Diego Pituca parece ter caído nas graças do técnico Jorge Sampaoli. Titular absoluto em 2019, o atleta entrará em campo mais uma vez no duelo contra o Vasco, nesta quarta-feira (17), às 19h15, na Vila Belmiro, pela quarta fase da Copa do Brasil.

Ele se encaixou rapidamente no esquema de jogo do argentino e mostrou ser polivalente. Nas partidas contra Corinthians e Atlético-GO, atuou, pelo menos em um primeiro momento, como lateral-esquerdo. E não decepcionou a confiança depositada. O jogador se revezava entre a função de ala sem a bola, ou seja, quando o adversário atacava o Santos e volante/meio-campista com ela, nos momentos em que o Peixe precisava preencher os espaços no principal setor do campo.

O volante de origem já atuou na lateral na base e parece não ter sentido a mudança. Na eliminação para o Corinthians, mesmo com Felipe Jonatan disponível, Sampaoli também preferiu escalar Pituca. A escalação do atleta na posição surpreendeu ainda mais porque Jorge, contratado com status de titular do futebol europeu, estava à disposição contra o Atlético-GO, mas só entrou no segundo tempo.

Vale lembrar que Sampaoli já elogiou a qualidade do atleta na hora da construção das jogadas da equipe, o que é fundamental para “sobreviver” no time titular do argentino. Em entrevista recente, inclusive, o argentino elogiou a intensidade e evolução do comandado.

“Nós conhecemos um Pituca pouco voluntarioso e desordenado, mas conosco está rendendo muito, é um jogador muito completo. Ele disputa o jogo inteiro com a mesma intensidade. Ele é o único jogador que jogou a partida anterior inteira e jogou essa. Vejo um jogador com um potencial enorme”.

Nesta temporada, Pituca já atuou em 19 oportunidades e anotou dois gols, sendo um dos atletas que mais entraram em campo pelo Santos.

Vale lembrar que o meia vive um processo delicado de renovação. O atual contrato do jogador é longo, até 2021, mas o meia recebe o mesmo salário do tempo de Santos B – cerca de R$ 20 mil. O tempo de contrato e as luvas pela assinatura do acordo já estão definidas há muito tempo. O problema é que o presidente José Carlos Peres não quer pagar ao empresário do atleta 5% do valor do novo vínculo.

Contratado do Botafogo-SP, o atleta tem os direitos econômicos divididos em 50% entre o Alvinegro e a ex-equipe. Em contrapartida, a multa rescisória dele com o Peixe é de R$ 8 milhões para times brasileiros e de R$ 50 milhões para equipes do exterior.

 

 

Comentários

comentário