Bruno Henrique, atacante do Santos (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Fim de jejum e 1° gol em clássico: Bruno Henrique traça metas para duelo contra o Corinthians

Mesmo longe de sua melhor fase no Santos, Bruno Henrique é uma das maiores esperanças da equipe para o clássico contra o Corinthians, no sábado (13), às 19h, no Pacaembu, em São Paulo, pela vigésima nona rodada do Campeonato Brasileiro.

E o duelo diante do arquirrival pode ser importante para o atacante quebrar dois retrospectos negativos: o de não ter marcado gols em clássicos com a camisa santista e dar fim à seca de gols que o persegue desde o dia 15 de setembro, quando marcou na vitória por 2 a 1 sobre o Cruzeiro, pela Copa do Brasil.

“Não marco há alguns jogos, mas sempre entro em campo para dar o meu melhor. Às vezes não faço gol, mas ajudo taticamente. Se sair agora vou ficar muito feliz, ainda mais se tratando de clássico. Se não, continuarei trabalhando e na hora certa em que a oportunidade aparecer eu vou marcar”, ressaltou o camisa 11.

Com 39 pontos, o Alvinegro Praiano ainda luta por uma vaga no G-6, grupo que garante vaga na Libertadores de 2019. Se vencer o Corinthians e o Atlético-MG, sexto colocado, com 45, tropeçar diante do América, no Independência, o Peixe ficará só a três pontos do rival de Minas.

“Sempre entramos em campo para vencer e subir na tabela. Com um tropeço do Atlético-MG e uma vitória nossa podemos ficar bem mais próximos do G-6. Vamos atrás de mais um bom resultado para encostar cada vez mais nos adversários de cima para seguir brigando pela Libertadores”, emendou o camisa 11.

“A casa sempre estará cheia. Todos os jogos que disputei, seja na Vila ou no Pacaembu, nossa torcida sempre esteve presente em bom número. Tenho certeza de que dessa vez não será diferente, a torcida vai nos incentivar e ajudar muito para conquistarmos mais três pontos”, completou.

O provável time do Santos no clássico tem: Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Dodô; Renato (Yuri), Diego Pituca e Carlos Sánchez; Derlis González, Bruno Henrique e Gabigol.

Comentários

comentário