Zeca falou sobre a sua situação durante entrevista coletiva (Foto: Ivan Storti/ Santos FC)
Zeca, lateral do Santos (Foto: Vítor Henrique / Santista Roxo)

Em entrevista, Zeca dá sua versão e diz que não volta mais ao Santos

O lateral-esquerdo Zeca, pela primeira vez, se pronunciou após entrar na justiça contra o Santos nesta quinta-feira (09), em São Paulo. Durante entrevista coletiva, o atleta explicou sua decisão de deixar o Clube, chorou ao falar sobre a sua situação e afirmou que não voltará a atuar pelo Peixe.

Em outubro do ano passado, o jogador de 23 anos entrou em litígio com o Alvinegro sob a alegação de atrasos no pagamento de FGTS e insegurança para trabalhar depois de, segundo ele, ter sido ameaçado em um aeroporto por torcedores. Em dezembro, conseguiu um habeas corpus que o liberava para trabalhar em qualquer lugar. Depois disso, porém, o Santos teve uma vitória na Justiça para fazer constar no registro do atleta a existência de uma disputa jurídica. O julgamento final está marcado para abril.

Nessa quinta-feira (08), o presidente José Carlos Peres externou o desejo de reintegrar o jogador, caso ele pedisse desculpas ao elenco santista. No entanto, minutos depois, Zeca, por meio de suas redes sociais, afirmou que não estava errado e que muito menos pediria desculpas a qualquer pessoa.

Confira os trechos da entrevista de Zeca:

Zeca sobre os primeiros momentos após ter sido intimidado pela torcida no aeroporto

Venho de uma família linda. Todos vocês sabem de tudo que está acontecendo na minha carreira e na minha vida. Passo por um momento muito difícil na minha vida. Não estou aqui para rebater qualquer tipo de resposta do presidente do Santos. Todos sabem o que se passa na Justiça entre mim e o Santos. Tudo começou antes de um jogo contra o Sport, quando fui treinar e, na noite anterior, postei algo que os torcedores entenderam de uma maneira errada. Um dirigente do Santos me chamou dizendo que eu não jogaria contra o Sport. Fiquei transtornado e me questionei por que eu não iria jogar. Conversei com meu empresário e tudo começou ali… Meus companheiros me ligaram falando que se eu não viajasse, eles não iriam viajar. O presidente voltou atrás e me levou para o jogo. Fora as pichações, que vocês viram, dei minha vida no jogo. Conversei com a minha família sobre tudo que estava acontecendo. O ônibus poderia ser colocado dentro do aeroporto para não acontecer o que aconteceu. Tivemos de passar no meio da torcida. Foi aí que começou tudo… No outro dia acordei, vi minha mãe chorando. Ela tem um problema psicológico. Ameaçaram ela de morte. Sempre disse e ressalto que entrei no futebol para ajudar a minha família. Para dar o que eles precisam. Não entrei para trazer problemas para a minha família. E eu estava trazendo. Minha mãe toma remédio controlado. Ela estava sem tomar o remédio há três dias. Eu não queria deixá-la em Santos após as ameaças de morte. Cheguei de novo no apartamento e decidi conversar com meus empresários.

Quem tomou a atitude de entrar na justiça?

Eu, não foram meus empresários. Não foi por causa do dinheiro, pelas luvas, todos sabem que o Santos estava me devendo. Os caras do Santos foram muito covardes comigo. Tentaram me manipular me indicando empresários para poderem pagar as minhas luvas. Nunca trairia as pessoas ao meu redor por conta disso. Sempre tive caráter, sempre fui homem. Não é por que tomei essa atitude que não sou homem. Nunca falei mal do Santos. Estou me manifestando hoje. Só apanhei. Não falei um A. É a hora de eu falar. Não estou jogando, estou treinando todos os dias. Estou preparado para qualquer situação. Estou preparado para o que der e vier. Confio na Justiça, que vai tomar suas providências.

Problemas em casa

A minha mãe tem um problema psicológico, trouxe ela para Santos justamente por isso. Reabilitamos ela. Ela viu o filho dela passar o que estava passando e ficou muito chateada. Foi ameaçada. O Santos não me procurou para falar nada. O Clube tinha de me blindar e isso não foi feito em nenhum aspecto. O presidente fala que eu devo desculpa ao elenco. Se eu devesse eu já tinha ligado e pedido. Estou num grupo com amigos do Santos, falo com eles diariamente. Sou amigo de todos. Todos gostam de mim. Gosto de treinar, chegava uma hora antes. Todos estão do meu lado.

Entrevista do presidente do Santos

Me surpreendeu. Ele tinha de ter outra atitude, ter procurado meus empresários, não dar pancada e fazer coisas para me prejudicar. Estou treinando todos os dias. Sobre voltar ou não é com os meus empresários. Voltar ao Santos não cabe a mim mais. Por tudo que aconteceu. Se a Justiça é feita honestamente, se Deus quiser vai dar tudo certo. Sempre falei a verdade. Sempre agi com honestidade. Deito com a cabeça no travesseiro tranquilo. Quem quebrou tudo isso foram eles. Pessoas querem te manipular dentro do próprio local de trabalho. Se eu quisesse dinheiro, eu teria assinado. Tudo que passei com meus empresários e minha família ficaria para trás. O Santos é uma instituição muito grande. Muitas coisas erradas foram feitas e ninguém fala.

O Santos te deve alguma coisa?

O Santos me deve dinheiro de luvas que foram combinadas, salários do FGTS. Perante leis é o dinheiro, mas o coração da pessoa fala mais que o dinheiro. Tenho dignidade de trabalhar com segurança. Sou um ser humano normal, como qualquer um. Tem muitas coisas atrasadas. Outros jogadores já entraram na Justiça e ganharam. A partir do momento que se deu a agressão, a ameaça, o envolvimento da família foi o estopim. Quem quebrou tudo foram eles.

Imbróglio com o Santos e possíveis transferências

Deixo essas coisas para o pessoal da OTB (empresa que cuida da minha carreira). As mentiras ditas pelo presidente influenciam em muitas coisas da minha vida. O presidente deu a versão deles. Eu estou falando só agora. Meu empresário que decide transferências. Estive sim para acertar (com Flamengo e Girona-ESP). Estão falando coisas que não são verdades. Estou aqui para esclarecer tudo que aconteceu e sobre relações futuras. Me refiro aos dois presidentes, Modesto e Peres. Eles usaram muitas coisas que não eram verdade. Eu só estou apanhando. Não estou me escondendo. No momento mais difícil eu não podia falar. O novo presidente está divulgando mentiras alheias. Ele deveria falar com o meu empresário.

Pressão

Pressão existe no futebol. Quem entrou no futebol tem de conviver com pressão, mas isso é diferente de ser agredido. Nas Olimpíadas foi assim, empatávamos o jogo e a torcida inteira estava em cima da gente. Temos de aguentar a pressão, sim. Agradeço a todos os meus representantes. Tenho certeza que fiz história no Santos, lamento ter terminado assim. Como eu sempre enfatizei, sempre tive caráter. Todos me conhecem. Sobre os clubes tenho certeza que vai se resolver logo. Estou preparado fisicamente, mentalmente. Nunca estive tão forte quanto estou agora. Já passei por muitas coisas na minha vida. Estou passando por mais uma agora. Vou sair daqui mais forte, me dedicar ao máximo para dar alegria no futebol. Como tinha acontecido isso (ameaças), não fui ao treino pois a gente já tinha notificado o Santos. Deixei minha mãe com minhas três irmãs (no Paraná). Ficamos todos juntos. Não procurei falar nada com ninguém. Esperei a poeira abaixar. Levamos muitas pedradas, preferimos nos resguardar.

Comentários

comentário