Sampaoli venceu a Sul-Americana em 2011 (Foto: Ivan Storti/Santos)

De volta após nove anos, Santos trata Sul-Americana como prioridade em 2019

Depois de nove anos (e seis fiascos), o Santos está de volta à Copa Sul-Americana, considerada a segunda competição continental mais importante das Américas. O primeiro duelo do Peixe acontecerá nesta terça-feira (12), às 19h15, contra o River Plate-URU, no estádio Luis Franzini, em Montévideu.

E, ao contrário do desempenho nas primeiras seis aparições, o Alvinegro tem tudo para levar o torneio “a sério” nesta temporada. Sem a Libertadores para disputar este ano, o Peixe conta com a experiência de Jorge Sampaoli, campeão da “Sula” em 2011 com a La U-CHI, para ir bem longe.

A primeira participação do Peixe no torneio aconteceu em 2003, quando chegou às quartas de final, mas acabou eliminado para o Cilenciano-PER após um empate e uma derrota. Já em 2004, o Santos foi derrotado, também nas quartas, para a LDU-EQU depois de duas derrotas.

Em 2005, o time santista encontrou o Fluminense na primeira fase e não avançou após disputa nos pênaltis na Vila Belmiro. Na temporada seguinte, o Peixe foi eliminado nas oitavas de final para o San Lorenzo-ARG. Em todos estes anos, o Alvinegro dava prioridade a outros torneios.

Como a Sul-Americana ainda era pouco atrativa e não dava vaga na Libertadores, o Alvinegro também não foi com força máxima para os jogos da edição de 2010. Assim, acabou eliminado para o Avaí na primeira fase após uma derrota por 3 a 1 em pleno Pacaembu e um triunfo insuficiente por 1 a 0 em Santa Catarina, no duelo da volta. Neymar e Ganso, por exemplo, só foram titulares na segunda partida.

Este ano, porém, tudo mudou. O Santos se vê com condições de disputar a Copa do Brasil e a Sul-Americana de igual para igual. Caso conquiste o título de pelo menos um desses torneios, o Peixe, que não ganha um campeonato de expressão desde 2012, ganhará dinheiro, visibilidade e vaga na Libertadores.

Uma provável escalação do Santos contra o River é: Vanderlei; Victor Ferraz, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Orinho; Alison, Diego Pituca, Carlos Sánchez e Jean Mota; Copete e Derlis González.

 

 

 

Comentários

comentário