Abel Braga pode comandar o Santos em 2019 (Foto: Maílson Santana/Fluminense FC)

Cuca diz que Abel Braga pode ser bom nome para substituí-lo no Santos: “Terra boa”

Depois de confirmar que deixará o Santos por problemas de saúde, o técnico Cuca disse que Abel Braga, muito bem quisto pelo presidente José Carlos Peres, seria um bom nome para substituí-lo. O nome do ex-Fluminense deve ser o primeiro a ser procurado pelo Peixe nos próximos dias.

Abel está livre no mercado desde julho, quando pediu demissão do Tricolor das Laranjeiras. Em 2018, ele comandou a equipe carioca por 34 vezes, com 14 vitórias, oito empates e 12 derrotas. Vale lembrar que, logo após a saída de Jair Ventura em julho, a diretoria santista foi atrás do treinador, mas sem sucesso.

“Venha, pode vir, fará trabalho bom. Terra é muito boa para trabalhar. Montagem tem que passar pelo treinador para ter os gostos dele. Hora de trabalhar é agora”, disse Cuca.

“Temos ambiente maravilhoso, são família. Não posso atrapalhar o tempo do presidente. Se o presidente não poder mexer com outro… Temos que jogar às claras, fazer isso e dá uma motivada nos jogadores para os dois últimos jogos”, emendou.

Cuca, técnico do Santos (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Cuca também acredita que o clima político do Santos vai melhorar e, por isso, o próximo treinador terá mais tranquilidade. Após a eliminação da Libertadores por conta da escalação irregular de Carlos Sánchez, o treinador disse que o Santos precisa ser mais “profissional” para conquistar boas coisas em 2019.

“Vai melhorar. As coisas aconteceram nesse ano porque não houve elenco homogêneo. Faltou equilíbrio. Pode ter planejado e não dar certo, recorrendo à base. Santos sempre foi formador. Tínhamos metade dos relacionados da base. Tem que ter os cascudos para aguentar rojão e segurar a pressão”, completou.

Contratado em 30 de julho deste ano para substituir Jair Ventura, Cuca comandou o Santos em 25 jogos, com nove vitórias, nove empates e sete derrotas. Nos quase quatro meses que esteve à frente do Peixe, livrou o time da briga pela zona de rebaixamento do Brasileirão e se manteve na disputa por uma vaga no G-6 até a última rodada, quando perdeu as chances matemáticas de classificação à próxima Libertadores.

Comentários

comentário