Cuca, técnico do Santos (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Cuca analisa trabalho bom no Santos e deseja sorte a novo técnico em 2019

Após a derrota por 2 a 1 para o Sport neste domingo (02), na Ilha do Retiro, em Recife, pela trigésima oitava rodada do Campeonato Brasileiro, o técnico Cuca se despediu do Santos. O comandante dará uma pausa na carreira por problemas cardíacos e passará por procedimento cirúrgico.

Mesmo sem conseguir levar o time à Libertadores de 2019, o treinador classificou como muito boa sua segunda passagem pelo Clube. Ele assumiu o cargo no dia 30 de julho, tirou o time da briga contra o Z-4 e flertou até as últimas rodadas com o G-6 antes de um “apagão” do elenco em um momento crucial.

“Chegar na última rodada como hoje… É positivo. Se tivéssemos hoje como Fluminense, Chapecoense e Sport, é difícil. Dois anos, um para lutar e outro para voltar em uma partida. Em geral, foi trabalho bom e desejo toda sorte a quem vier no meu lugar”, disse Cuca em entrevista coletiva.

O treinador também revelou uma certa apreensão sobre o seu futuro e espera voltar à ativa já em 2019.

“Eu estava, lógico (reflexivo). Fico apreensivo com futuro, não profissional, mas como pessoa. Vou definir as coisas com o doutor e fazer o melhor. O mais importante é pensar em mim”, emendou.

Agora, o Santos entra de férias e só se reapresenta para a temporada 2019 no dia 2 de janeiro. No ano que vem, com um novo técnico, o Alvinegro terá, além da Sul-Americana, o Paulistão, a Copa do Brasil e o Brasileirão para disputar. Abel Braga é o plano A.

Durante o período de recesso, a diretoria santista tentará fechar com Abel Braga, o plano A para o comando técnico, contratar reforços importantes e segurar jogadores, como Vanderlei, Diego Pituca, Dodô e Gabigol. Muitos atletas emprestados também voltarão em janeiro e podem (ou não) ser aproveitados.

Comentários

comentário