As cadeiras do Pacaembu após a confusão (Foto: Vítor Henrique / Santista Roxo)

Conmebol pune Santos por confusão entre torcida e Polícia Militar na Libertadores

Depois de punir o Santos nas oitavas de final da Libertadores contra o Independiente, da Argentina, por conta da suposta escalação irregular de Carlos Sánchez, a Conmebol penalizou o Peixe também por conta da confusão entre os torcedores e a Polícia Militar no Pacaembu, no duelo da volta da fase mata-mata entre as equipes, no dia 28 de agosto. O Peixe terá sete dias para recorrer a partir de agora.

Mesmo eliminado dentro das quatro linhas, o Alvinegro Praiano foi excluído da competição atual e terá de jogar as duas próximas partidas continentais com portões fechados para a torcida. Por fim, terá de pagar uma multa de 100 mil dólares (cerca de R$ 420 mi).

Aos 37 minutos do segundo tempo, os torcedores, indignados com a punição no caso Sánchez, atiraram bombas no gramado e tentaram arrombar os portões que dividem as arquibancadas e o gramado – alguns conseguiram invadir o campo e tiveram de ser contidos pela Polícia Militar, que conseguiu controlar a situação. Além disso, santistas quebraram cadeiras e deram grande prejuízo ao Clube.

É importante destacar que, por conta da exclusão da Libertadores neste ano, o Santos comprometeu ainda mais o recurso para reverter a derrota imposta pela escalação de Sánchez. O presidente José Carlos Peres queria que a entidade garantisse uma vaga ao Santos na Libertadores em 2019.

Confusão entre torcida e Polícia Militar no Pacaembu:

Comentários

comentário