Renan Pastre brilhou no Santos contra o Mirassol (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC)
Renan Pastre brilhou no Santos contra o Mirassol (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC)

Provocação e dica valiosa do pai: como Renan Pastre brilhou na Copinha

O Santos continua vivo na Copa São Paulo de Futebol Júnior. Nessa quinta-feira (11), em Novo Horizonte, no estádio Ismael de Biasi, o Peixe empatou em 1 a 1 com o Mirassol no tempo regulamentar, mas derrotou o adversário por 5 a 4 nas penalidades máximas.

Com personalidade durante as cobranças, o goleiro Renan Pastre se agigantou, defendeu a batida de João Guilherme e garantiu a classificação alvinegra. Após o confronto, o camisa 1 explicou como se comportou para desestabilizar os batedores durante a prorrogação.

“Eu disse pra ele (batedor) que se batesse mal, eu ia pegar, que eu ia na bola. No pênalti, querendo ou não, é um jogo psicológico, físico também, mas o mais importante é o psicológico. Acho que desestabilizou um pouco ele… A primeira coisa que passou na minha cabeça quando defendi (o primeiro pênalti) foi algo que meu pai me ensinou sobre batedores de pênaltis. Pulei em quase todos perto. Peguei porque ele bateu bem, mas não tão bem como os outros”, comentou Renan, que não quis revelar a valiosa dica do pai porque ainda poderá surpreender na Copinha.

Renan Pastre defendeu uma cobrança de pênaltis na prorrogação (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC)

Renan Pastre defendeu uma cobrança de pênaltis na prorrogação (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC)

O goleiro Renan aproveitou para destacar a qualidade do Mirassol, que não entregou fácil a derrota aos santistas. O time do interior chegou a pressionar no primeiro tempo, empatou na etapa complementar e quase garantiu a classificação antes do fim dos 90 minutos, mas parou em Renan.

“A equipe do Mirassol foi bem cascuda, jogaram a Copa Paulista em 2017. O jogo foi difícil, como todos os outros. O campo não ajudou muito e o time deles tinha bastante força. Graças a Deus suportamos a pressão e conseguimos sair com o empate e depois vitoriosos nos pênaltis”, emendou o arqueiro.

Com dez gols marcados e apenas um sofrido em quatro jogos no torneio, o Santos agora terá pela frente o Figueirense, de Santa Catarina, na terceira fase da Copa São Paulo. O duelo contra os catarinenses acontecerá novamente em Novo Horizonte, no próximo sábado (13), às 18h30.

“Graças a Deus estamos conseguindo ter um sistema defensivo sólido, com bastante pegada ali e conseguindo tomar menos gols possíveis. Não podemos deixar cair a vontade que temos em todos os jogos. Às vezes não conseguimos se sobressair aos adversários tecnicamente, mas a nossa vontade foi o que nos manteve no jogo e nos deu a vitória”, complementou Renan.

 

Comentários

comentário