Gabigol está pendurado com dois cartões (Foto: Ivan Storti/Santos FC)
Gabigol está pendurado com dois cartões (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Com boas opções, ataque vira um problema a menos para Jair no Santos

O técnico Jair Ventura iniciou o seu trabalho no Santos pegando praticamente uma “terra arrasada”. Antes mesmo de chegar à Baixada Santista, o comandante viu nomes como Lucas Lima e Ricardo Oliveira abandonarem o barco e se transferirem para Palmeiras e Atlético-MG, respectivamente.

Após os primeiros treinos, o treinador viu que a coisa era ainda pior. Além de poucos nomes de peso no elenco, viu seu time ficar cada vez menos sem opções em quase todos os lados do campo. Não por mais saídas, mas por lesões que vêm enchendo o Departamento Médico do Clube neste início de ano.

Mas, para alívio do técnico, um setor em especial parece cada vez mais recheado de peças: o ataque. Maior estrela da equipe até aqui, Gabigol chegou ao Santos com status de estrela e, na primeira partida, já fez o que se espera dele: um gol, boa movimentação e a certeza de que, quando ganhar ritmo de jogo, vai ser ainda mais importante para o esquema tático de Jair, sobretudo como centroavante.

Eduardo Sasha, por sua vez, é outro que parece agradar a comissão técnica santista. Contratado do Internacional sem badalação, o camisa 27, em quatro duelos, marcou dois gols de cabeça, mostrou versatilidade e pode atuar tanto pela ponta do ataque, quanto como um 9.

Já Arthur Gomes, titular com a ausência de Bruno Henrique, que se recupera de lesão no olho direito, é outro que, se ainda não demonstrou que deve ser titular absoluto, pode ser uma boa opção em momentos importantes na temporada em uma eventual ausência de algum titular. Como Bruno Henrique ainda está longe do retorno, Arthur deve ganhar mais chances para provar o seu valor.

Copete é mais um personagem desse ataque, mesmo que já tenha demonstrado que é limitado para fazer jogadas mais agudas. No entanto, exerce, como poucos, um papel muito importante taticamente no time. O jogador, inclusive, retorna de suspensão automática e terá de brigar com Arthur Gomes e Sasha por uma vaga entre os titulares na próxima rodada, caso não seja improvisado na lateral esquerda.

Além dos quatro atletas descritos, Jair Ventura pode contar também com os meninos da base Rodrygo, Diogo Vitor e Yuri Alberto. O primeiro, inclusive, ganhará muitas oportunidades ao longo do ano, uma vez que já demonstrou potencial e salvou o Santos em duas partidas no Campeonato Paulista.

Rodrigão, que havia começado a temporada como titular e perdeu espaço para Sasha e Gabigol, pode perder cada vez mais espaço no elenco. Contra a Ferroviária, ele foi desfalque após sentir dores musculares, mas deve ser relacionado contra o São Caetano nesta quarta-feira (14), na Vila Belmiro.

Com todas essas opções, é pouco provável que a diretoria santista vá ao mercado para contratar mais um atacante, concentrando seus esforços em um meia de criação, mesmo depois de perder o argentino Lucas Zelarayán. No elenco atual, além de Vecchio e Jean Mota, titulares em Araraquara, Vitor Bueno, Diego Pituca e Gabriel Calabres, destaque na Copinha, surgem como opções.

Comentários

comentário