Bruno Henrique deve iniciar transição na próxima semana (Foto: Ivan Storti/Santos FC)
Bruno Henrique está perto do retorno ao Santos (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Bruno Henrique evolui em recuperação e deve treinar no campo nos próximos dias

Bruno Henrique deve iniciar nos próximos dias o processo de transição, do CEPRAF para o gramado, no Santos. O atacante, que não sente mais dores na coxa esquerda, local onde teve uma lesão muscular de grau 2, tem feito trabalhos de fortalecimento da musculatura na academia e será reavaliado para saber quando poderá ser liberado para as atividades do Peixe no campo do CT Rei Pelé.

O camisa 11 está afastado dos gramados há duas semanas, quando se lesionou na partida diante do Bahia, na Arena Fonte Nova, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. Antes disso, ele havia ficado três meses fora de combate em recuperação de cinco lesões graves na retina do olho direito. No total, somando a estreia contra o Linense, o jogador de 27 anos atuou por apenas 30 minutos em 2018.

Mesmo sem prazo para retornar ao time, a expectativa é de que Bruno Henrique fique pronto e à disposição do técnico Jair Ventura para atuar contra o São Paulo, no dia 20 de maio, no Morumbi, pelo Brasileirão. Será o primeiro clássico do Peixe nesta edição do torneio nacional.

Vale destacar que, na visão de Jair, o atleta será titular absoluto quando tiver totais condições de jogo. Na última semana, em entrevista à Rádio Globo Santos, o comandante santista disse que já estuda como colocar o Peixe com quatro atacantes em campo.

Enquanto Bruno Henrique ainda segue fora, o Santos continua se preparando para o duelo contra o Luverdense nesta quinta-feira (10), às 21h45, na Vila Belmiro, pela ida das oitavas de final da Copa do Brasil. O elenco santista voltou aos treinos nesta terça-feira com um desfalque importante.

Precisando do resultado para abrir uma boa vantagem, o técnico Jair Ventura deve colocar força máxima na Vila. Um time provável é: Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Alison (Renato); Léo Cittadini e Jean Mota; Eduardo Sasha, Gabigol e Rodrygo.

Comentários

comentário