Emerson Ballio é o técnico do Santos na Copinha (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC)
Emerson Ballio é o técnico do Santos na Copinha (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC)

Ballio destaca ausência de Lourenço em revés e projeta vitória em “decisão” na Copinha

O técnico Emerson Ballio destacou a falta que Lucas Lourenço, em recuperação de lesão de grau 1 no tornozelo esquerdo, fez na derrota do Santos por 2 a 1 para o São Caetano nesta segunda-feira (7), no estádio Nogueirão, em Mogi das Cruzes, pela segunda rodada da Copa São Paulo de Futebol Júnior.

O camisa 10, fundamental na goleada do Peixe na estreia, torceu o tornozelo no fim do último jogo e não pôde entrar em campo na segunda rodada. Ele fez tratamento intensivo até minutos antes da partida, mas não aguentou as dores. A expectativa é de que ele retorne na partida decisiva contra o União Mogi.

“Jogador como o Lucas Lourenço sempre faz falta, mas o Giovanni (substituto) foi bem na partida, não conseguiu manter no segundo tempo, não foi suficiente”, disse o comandante santista.

Com o resultado, o São Caetano assumiu a ponta do grupo 25, com quatro pontos conquistados, a mesma pontuação do União Mogi (o time do ABC fica em vantagem nos gols marcados: 2 a 1). O Peixe, por sua vez, é o terceiro, com três. O Sergipe é o lanterna e ainda não pontuou.

O próximo compromisso do time de Emerson Ballio será contra o União Mogi, na quinta-feira (10), às 19h30, no mesmo estádio Nogueirão – o Santos ainda depende só de si para garantir vaga na próxima fase. O São Caetano, por sua vez, encara o Sergipe na terceira rodada.

“A gente teve um bom desempenho, saímos ganhando, tivemos chances de ampliar durante o primeiro tempo. Voltamos para o segundo, estávamos um pouco preocupados, baixamos um pouco a linha de marcação. Reforcei que tínhamos de ter uma postura ofensiva, mas demoramos para entrar no segundo tempo. Voltamos ao jogo, tivemos algumas chances, mas o São Caetano aproveitou melhor”.

“A gente sabe que o futebol é isso, não basta se lamentar agora pela bola não ter entrado. É trabalhar para que dá próxima vez ela entre, se a gente conseguiu criar, faltou a frieza, a decisão no último lance. Foi uma derrota onde podíamos perder, temos o próximo jogo em que podemos entrar com determinação, não podemos mais perder. Acredito que para o Santos não seja uma novidade, sempre entramos para ganhar. Vou trabalhar pra ganhar o próximo jogo e seguir vivo na competição”, completou.

Comentários

comentário