Everson e Vanderlei em treino do Santos (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Antes titular incontestável, Vanderlei vê sombra de Everson e críticas aumentarem

O goleiro Vanderlei vive um momento delicado no Santos. Apesar de ter ido bem com ao menos duas boas defesas no empate sem gols contra o Corinthians, no último domingo, o camisa 1 já começa a sofrer com críticas de parte da torcida, que colocava-o em um “pedestal” em um passado não tão distante.

O problema, neste momento, nada tem a ver com sua performance com as mãos, na hora de defender os chutes rivais, mas sim com a bola nos pés. Com a chegada de Everson a pedido de Jorge Sampaoli em janeiro, isso parece, de certa forma, cada vez mais evidente.

Quando chegou ao Santos, o treinador pediu um goleiro que tivesse qualidade quando fosse exigido na saída com os pés, algo que não via em Vanderlei. Na formação ofensiva do argentino, um arqueiro que saiba lançar e tocar rápido na hora da reposição, sem sustos, é algo essencial.

Se foi bem com as mãos no clássico, Vanderlei destoou na reposição, uma vez que, de 20 lançamentos, errou 15 – um aproveitamento de 25%. Na coletiva após a partida, o técnico do Corinthians, Fábio Carille, revelou que deixou as linhas altas de sua equipe de propósito, já que em algumas análises notou que o Santos tinha dificuldades ao ser pressionado. Com Vanderlei no gol, isso ficou ainda mais evidente.

Neste ano, o antes titular incontestável em todas as competições perdeu sua vaga na Copa do Brasil para Everson, mas tem sido titular no Paulistão e, em um primeiro momento, será no Campeonato Brasileiro. A tendência é de que Sampaoli repense este rodízio nas próximas semanas.

Everson, por sua vez, atuou em três partidas do Peixe contra Mirassol, Palmeiras e América-RN e saiu de campo sem ser vazado em todas elas. Além de mostrar qualidade com os pés, principal motivo para sua contratação, ele mostrou bom reflexo embaixo das traves, especialmente no clássico.

Vale lembrar que, logo em sua chegada, o camisa 22 classificou Vanderlei como um ídolo do Santos, mas alertou que buscaria seu espaço entre os titulares.

“O Vanderlei, além de se um dos melhores do Brasil, é ídolo da torcida. Estou feliz com a oportunidade de vestir a camisa do Santos e aprender com ele. Sei que é um grande goleiro e líder do elenco. Vou buscar meu espaço, trabalhar com humildade e caráter. Quero fazer minha história no time com títulos também como foi a dele”, disse o arqueiro em sua apresentação.

No Santos desde 2015, Vanderlei soma 246 jogos e os títulos do Paulista de 2015 e 2016 no currículo. Antes da chegada de Sampaoli, o camisa 1 nunca havia sido “ameaçado” no time titular por um reserva.

 

Comentários

comentário