Ferraz em entrevista coletiva (Foto: Vítor Henrique / Santista Roxo)

O desabafo de Vitor Ferraz!

O desabafo de Vitor Ferraz!

Victor Ferraz desabafa e diz que foi “hostilizado”

Após a goleada contra a Chapecoense, Vitor Ferraz foi para a mídia e reclamou que a Torcida hostilizou.

Pelo que sei, as críticas foram a altura do futebol praticado nos tropeços do Santos. Derrotas e empate.

Jogador de time grande ganha muito, por vezes muito mais do que o seu futebol merece.

Assim, inadmissível ir para a Mídia, após uma goleada, e reclamar.

Ou se não quiser ouvir reclamação, peça para sair.

Vá jogar num clube pequeno.

Sim, num clube pequeno, mesmo o atleta nada fazendo em campo, a torcida aplaude.. 

Ser atleta de Time grande:

a) tem fama;

b) ganha salários absurdos;

c) e ser enaltecido por uma grande torcida;

d)e indo bem em campo, imprensa lhe  fará um marketing gratuito e espontâneo .

E se jogar mal, terá o ônus de ser criticado pela imprensa, torcedores.

Dirigentes não devem criticar atletas.

Dirigente (incluo também Conselheiro) não pode criticar um atleta.

Qualquer torcedor pode xingar atletas, falar mal, criticar, mas,

um dirigente jamais deve externar um pensamento negativo em relação ao atleta.

 Lógico que se pode criticar a atuação de um atleta em campo.

Jamais menosprezar pelas mídias sociais, porque é patrimônio do Clube.

Não jogou bem?Critica-se!

Jogou bem?Aplaude-se!

Esse é o mundo do futebol.

O atleta recebe participação financeira em direitos de imagens.

E quando um atleta prejudica a imagem do Clube paga?

Entendo que quando o atleta prejudica a imagem do Clube, fora do campo de jogo, estaria sujeito a ser multado.

Se se ele tem direitos financeiros pela imagem positiva; deveria pagar financeiramente ao clube pela imagem negativa.

Digo fora do campo de jogo, porque dentro do campo, a punição é esportiva: exemplo uma entrada violenta num adversário ou na arbitragem.

Vitor Ferraz deveria ter a humildade em aceitar críticas.

Por fim, transcrevo, parcialmente, o post do dia 23 de janeiro de 2018

O bocejo de Victor Ferraz.

…………………………… …………………………………..  ………………………………….

E no jogo fatídico da segunda (nem comentarei, porque ainda estou possessa), o nosso brilhante lateral bocejou no primeiro tempo.

Bocejou porque queria sair?

  Seria sono?

Seria enfastio pelo jogo ruim?

Seria fome?

Baixou um espírito?

Isso me recorda lá na infância, fomos a uma Missa, de noite, e em determinado momento, criança, abri a minha boca num enorme bocejo.

A, hoje, defunta mãe, ao terminar a Missa, caminhando para casa, disse:

Nunca faça isso em público.

É feio. Feche os olhos de uma vez e durma, jamais boceja no meio dos outros.

E nunca o fiz!

Anos mais tarde, na minha primeira reunião como chefe de Gabinete, da Secretaria da Cultura, uma cadeira vazia ao meu lado esquerdo, e toda hora estava bocejando.

Ainda bem que a reunião era com o financeiro e o jurídico, gente da Casa, senão, morreria de vergonha.

Percebi que um “espírito” estava me perturbando.

Na segunda reunião, uns dias depois, com um vereador, fui para a cabeceira da mesa, não mais deixei cadeira vazia.

E não mais bocejei.

Vitor Ferraz não foi o primeiro atleta que vi bocejar em campo.

André que brilhou com a dupla Ganso e Neymar, bocejou num jogo em fevereiro de 2013.

………..   ……………………..                  ……………………………..

A primeira vez que vi um profissional em campo, abrir a boca, num sinal, certamente, de que o jogo estava ruim…ou bom e ele estava com sono, quiçá fome.

Local? Pacaembu.

O nome do centroavante?

Keirrison!

Que teve uma passagem bocejante pelo Santos.

Tornando-me ao presente.

Muito triste isso que ocorreu na segunda-feira.

Ou ele estava com sono, como tive numa Missa na infância.

Ou o jogo estava péssimo.

Ou estava com fome.

Ou, o que é pior, algum espírito (de porco) baixou nele e ele bocejou.

Chama um dono de Terreiro no último caso.

Efemérides

Do dia
2 de setembro
a)1822 Foi assinado um Decreto, declarando o Brasil independente de Portugal, pela Imperatriz Maria Leopoldina.

Ela estava como Chefe interina de governo, sendo formalizado em 7 de setembro de 1822 por Dom Pedro I.
Viva a Monarquia.
b) 1850 fundação de Blumenau, parabéns aos santásticos blumenauenses.
c) 1937 morreu Pierre de Frédy,Barão de Cobertin,fundador das Olimpíadas Modernas, nasceu em 1863.
d) 1962 PELÉ faz o seu 500 gol, tendo iniciado a sua brilhantíssima carreira em 7/9/1956.
Pelé é nosso Rei!
Dia do Pastor
Esse foi instituído em homenagem ao dia da ordenação do reverendo Eduardo Carlos Peres, em 1881, da Igreja Presbiteriana.
Cumprimento ao santástico Pastor Luiz Caetano​.
Liturgia católica
Santa Doroteia.

Nasceu e viveu no século IV
Cesárea da Capadócia, atual Kayseri, na Turquia.

Comentários

comentário